TRABALHO EM EQUIPE

INTRODUÇÃO

O trabalho em equipe pode ser descrito como um grupo de pessoas que se dedicam a realizar uma tarefa ou determinado trabalho conjuntamente.

O trabalho em equipe possibilita a troca de conhecimento e agilidade no cumprimento das metas e objetivos compartilhados.

Portanto o trabalho em equipe é quando, em um grupo, as pessoas ajudam umas as outras.

 

REFLEXÃO ACADÊMICA

Bennis & Biederman (1996) salienta a importância da criação de grupos de trabalho, e como estes realizações grupos tem atingido extraordinárias em empresa como Disney, Skunk Works da Lochheed, e o Centro de Pesquisas da Xerox em Palo Alto.

Maxell (2007), seguindo a mesma linha de pensamento de Bennis (1996), afirma que o trabalho em equipe é a cola que pode juntar tudo.

Sob a perspectiva de uma liderança servidora, o trabalho em equipe tem o amor como base para as relações, seja no trabalho ou em qualquer outro lugar. Um modelo de liderança com base no amor, comenta Marinho (2009), confronta a maioria esmagadora dos modelos praticados nas organizações, como diz o ditado:  ” amigos, amigos, negócios à parte”. Equipes onde os membros tem relacionamento mais próximo e mais aberto, apresentam melhores resultados da equipe e de cada indivíduo.

Sabemos que Liderança é uma arte, de acordo com Kouzes & Posner (2003), então dominar a arte da liderança de equipes requererá crescimento pessoal, uma mudança de atitude na maneira de encarar a vida, bem como uma mudança nos relacionamentos interpessoais e nos sentimentos em relação as pessoas do grupo.

“Unir-se é um bom começo, manter a união é um progresso, e trabalhar em conjunto é uma vitória.” – Henry Ford (Google 2012)

 

REFLEXÃO PESSOAL

Através de minha experiência pessoal como executivo pude constatar que no trabalho em equipe, as pessoas precisam umas das outras para agir.

E através de minha experiência como consultor de varias empresas no Brasil e América Latina, pude notar que as organizações ainda precisam aprender como utilizar o potencial de muitas mentes a fim de serem mais inteligentes do que uma mente, conforme orienta Bannis (1996).

Apesar de que o desenvolvimento do trabalho em equipe é um dos temas em que existe menos pesquisa e teoria, em relação aos outros temas da área de liderança, conforme afirma Marinho (2009), posso concluir pela minha experiência prática em mais de 30 projetos, que trabalhar em equipe, mais do que uma ciência é uma arte onde a competência interpessoal surge como requisito básico. O desenvolvimento de uma equipe eficaz exige de seu líder pelo menos cinco atitudes fundamentais: acolher, dialogar, confiar, exigir e compartilhar. Jordan (2009, p.56) diz: “Prefiro contar com cinco jogadores menos talentosos, porém mais dispostos a fazer as coisas juntos, do que com cinco que se consideram astros e não se mostram dispostos a se sacrificar em prol do conjunto”.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Bennis & Biederman (1996). Organizing Genius. Retirado em 23 de Julho de 2012 de: http://mtweb.mtsu.edu/vdonnell/organizinggeniuschapter1.pdf

Chang, R. Y. (2000). O Sucesso Através das Equipes. São Paulo: Futura.

D’Souza, A. de. (1996). Liderar com Eficácia: Estratégias para uma liderança efetiva. Vol 3. São Paulo: Edições Loyola.

D’Souza, A. de. (1996). Liderar: Estratégias para uma liderança efetiva. Vol 2. São Paulo: Edições Loyola.

D’Souza, A. de. (1996). Torne-se um líder: Estratégias para uma liderança efetiva. Vol 1. São Paulo: Edições Loyola.

Jordan, M. (2009). Nunca Deixe de Tentar. Rio de Janeiro: Editora Sextante.

Marinho, R. & Oliveira, J. (2009). Liderança. Uma Questão de Competência. São Paulo: Editora Saraiva.

Maxell, J. C. (2007). Talento não é Tudo. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil.

Kouzes, J. & Posner, B. (2003). O Desafio da Liderança. Rio de Janeiro: Editora Campus.